sexta-feira, 24 de junho de 2016

Joe Esposito - Lady, Lady, Lady

Pesquisa com jeito de manipulação aponta Tourinho na frente na UFPA

Espiem só.
As academias, em tese, deveriam ser a casa da racionalidade, da precisão, da objetividade - tudo isso em homenagem ao conhecimentos plural que ali se adquire.
Mas não são. Tal não acontece nas academias, sobretudo quando as eleições contaminam os ânimos de instintos os mais primitivos, como diria Roberto Jefferson.
É o caso da Universidade Federal do Pará.
Nesta sexta-feira, Zaps, Zeps e Zips estão sendo inundados com essa pesquisa que vocês veem aí e chegou ao WhatsApp do Espaço Aberto ainda há pouco.
A aferição foi feita apenas entre os técnicos.
Quem ganha, segundo a pesquisa?
Emannoel Tourinho, que tem o apoio de PT e PMDB, à frente o professor Carlos Maneschy, aquele que foi nomeado num dia e desnomeado no outro.
Mas a pesquisa tem todo o cheiro, o estilo e o jeito de ser o resultado de uma, como se diz, invencionice estatística, de manipulação quase que despudorada.
Porque há 2.397 técnicos habilitados a votar nas eleições para reitor. E apenas 427 foram ouvidos.
Tem mais: também corre aí, pelos Zaps, Zeps e Zips, a informação de que a verdadeira pesquisa apontaria o professor Edson Ortiz, opositor ao grupo de Maneschy, em ampla vantagem entre o corpo técnico da UFPA, enquanto Tourinho lideraria por pequena margem entre os professores.
É assim.
Vocês querem pesquisas com cheiro de manipulação?
Vão para a UFPA.

"Desnomeação" de Maneschy anima opositores de seu grupo na UFPA


Segmentos de servidores da Universidade Federal do Pará adoraram, para dizer o mínimo, o "equívoco prontamente sanado" (hehehe) que se configurou na nomeação e desnomeação, apenas 24 horas depois, do ex-reitor e pré-candidato do PMDB à Prefeitura de Belém Carlos Maneschy como assessor da Reitoria.
O regalo de servidores explica-se porque o professor Emmanoel Tourinho, ex-pró-Reitor de Pesquisa e Graduação, é candidato a reitor chancelado pela atual gestão da UFPA e, por extensão, com o apoio incondicional de Maneschy.

A expectativa é de que o episódio da nomeação e da consequente desnomeação a jato poderá, de alguma forma, somar pontos em favor da candidatura do principal opositor do grupo de Maneschy, o professor Edson Ortiz, ex-pró-Reitor de Administração.

Universitária dá um tapa em verme que tentou boliná-la em ônibus


Leitora do Espaço Aberto, que estuda numa universidade particular no centro de Belém, rodou a baiana, dia desses, dentro de um ônibus que faz a linha Icoaraci-Belém.
Soltou um tapão, desses de estalar, na cara de um verme que tentou boliná-la dentro de um ônibus.
Revoltante, o assédio às mulheres em transportes coletivos?
Sem dúvida, revoltante.
Mas tão revoltante quanto o assédio - porco, indecoroso, repulsivo e criminoso - é a omissão das pessoas que, dentro do transporte coletivo, presenciam paradas como essas e ficam ali, com cara de horror, mas sem fazer nada, absolutamente nada.
- E o restante dos passageiros, o que fez? - o repórter perguntou à leitora.
- Só fizeram protestar. Mas ninguém fez nada. O cara é que ficou constrangido porque eu fiz o escândalo e resolveu descer numa ponto mais à frente - conta a universitária.
Casos como esse, segundo ela, são frequentes sobretudo à noite, expondo a riscos pessoas que voltam pra casa.

Quer dizer: além dos bandidos que assaltam ônibus todo dia, o dia todo na Grande Belém, os passageiros, ou melhor, as passageiras ainda estão sujeitas a esse tipo de crime que aumenta na mesma medida em que cresce a impunidade dos que o cometem.

Ato na UFPA é vergonhoso, afirma leitor


De leitor do Espaço Aberto, sobre a postagem A UFPA afronta a patuleia com suas explicações:

Nomeado e desnomeado num prazo de 24 horas é simplesmente vergonhoso. E mais vergonhoso é dizer que isso foi um equívoco.
Eu diria que essa atitude por parte da Reitoria foi imoral, um desrespeito para com os servidores e discentes.
Todos sabemos que estamos enfrentando uma grave crise econômica, e aí nos deparamos com esse tipo de atitude dos gestores, que têm como obrigação aplicar o dinheiro público de maneira correta e transparente.
Então, fica a pergunta: o que esperar de gestores que aplicam o dinheiro público dessa maneira? O que esperar do candidato apoiado pelo ex-reitor? O que esperar?
É no mínimo preocupante, não acham?

Um olhar pela lente

Dona Coló. Ms Coló

No dia São João, para colorir e dar cheiro às tradições, Dona Coló, uma das mais conhecidas erveiras do Ver-o-Peso.
A foto é de Felipe Accioli.

Leitores mantêm confiabilidade em marcas jornalísticas tradicionais


O consumo de informação continua mudando e se desloca cada vez mais para os dispositivos móveis e para as redes sociais. Ao mesmo tempo, os leitores mantêm sua confiança em marcas jornalísticas de referência, como El País ou Le Monde, com uma trajetória de prestígio enquanto fonte confiável de notícias. Estas são algumas das principais conclusões do último informe sobre jornalismo digital do Instituto Reuters para o Estudo do Jornalismo, da Universidade de Oxford. A análise reconhece El País como líder na informação impressa e digital na Espanha.
O informe mostra um aumento de 2,5 milhões de usuários da mídia digital na Espanha, chegando agora ao número de 26,5 milhões. Destes, 58% usam os dispositivos móveis para consumir notícias e 13% procuram as redes sociais como primeira fonte de informação. Em média, 51% dos usuários dos 26 países incluídos na pesquisa que serve de base ao informe consomem informação através das redes sociais.
O crescimento do número de usuários é uma boa notícia para os meios de comunicação, mas a mudança dos hábitos de consumo coloca desafios para financiar o trabalho dos jornalistas. Por um lado, o percentual de consumidores de notícias disposto a pagar por elas é pequeno. Em países como a Noruega e a Suécia, o percentual de consumidores pagantes foi, respectivamente, de 27% e 20%. Na Espanha, esse número não passa de 10% e além disso, tal como ocorre na Itália ou na Polônia, trata-se de pagamentos feitos de uma única vez, aportes econômicos pontuais a um determinado veículo, que limitam o seu impacto e o seu valor para sustentá-lo a longo prazo.
El País é o líder entre os jornais digitais na língua espanhola existentes no mundo, com mais de 16 milhões de usuários únicos por mês e mais de 12 milhões de seguidores nas redes sociais. Recentemente, o jornal passou por uma transformação integral do seu sistema de trabalho e da publicação de notícias para priorizar a velocidade e a qualidade de suas informações.
Como pagar um jornalismo de alta qualidade?
Embora o único meio de financiamento estável dos veículos na internet seja a publicidade, vem aumentando o número de pessoas que usa aplicativos para bloquear os anúncios com que se sustenta a informação. Na Espanha, 28% dos usuários usam esses sistemas e na população com menos de 24 anos esse número chega a 53%. Essa tendência levou editores de países como a Suécia a fazerem acordos no sentido de que usuários que utilizem esses programas não tenham acesso às suas notícias e a expor iniciativas educativas que conscientizem os usuários do prejuízo que essas atitudes causam ao jornalismo.
A intensificação do acesso às redes sociais, que facilitaram a difusão de notícias, também coloca um dilema a quem as produz. O informe do Instituto Reuters indica que os usuários só identificam a origem da informação a que se tem acesso por essa via em menos da metade dos casos. No Japão e na Coreia do Sul, onde as notícias distribuídas estão mais desenvolvidas, a marca de origem só se percebe uma quarta parte das vezes, quando se chega a ele através de agregadores.
O estudo também observa diferenças por países na liderança da transição para a informação online. Em países como o Reino Unido ou os Estados Unidos foram as redes de televisão que conseguiram fazê-lo com um maior volume de audiência. No Japão ou Coreia do Sul, essa batalha vem sendo vencida por veículos do tipo do BuzzFeed ou do Huffignton Post. Na Espanha ou na Finlândia – e em menor proporção na Alemanha e na França – essa posição foi ocupada por jornais líderes, como El País.
O informe sugere que, inclusive numa era de redes sociais e meios de comunicação segmentados, as grandes marcas jornalísticas tradicionais importam. Numa nota à imprensa, o Instituto Reuters explica que “empresas jornalísticas que apostaram tudo num futuro distribuído, como BuzzFeed, estão ganhando terreno, em termos de alcance. Mas essas novas marcas e plataformas são utilizadas principalmente como fontes secundárias e para temas informativos mais suaves. A parte principal do uso online continua com marcas que têm uma forte herança informativa e foram capazes de construir uma reputação ao longo do tempo”.
David Levy, diretor do Instituto Reuters, resume o panorama de oportunidades e riscos que apresenta o documento: “Está claro que as notícias são mais populares do que nunca e que o jornalismo diferenciado ainda tem valor para os consumidores. As novas marcas ainda não estão substituindo as velhas, do ponto de vista de qualidade, alcance e produção. O problema de como pagar um jornalismo de alta qualidade, mas caro, tornou-se mais premente do que nunca.”

O que ele disse


"A corrupção é uma assassina sorrateira, invisível e de massa. Ela é uma serial killer que se disfarça de buracos em estradas, em faltas de medicamentos, de crimes de rua e de pobleza."
Deltan Dallagnol, procurador da República e coordenador da força-tarefa da Lava Jato, durante debate no plenário da Câmara, em Brasília.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Yamada expõe situação delicada em editais que convocam assembleias gerais



Parece mesmo que chegou a hora da verdade para o Grupo Yamada, até poucos anos atrás um dos mais pujantes e sólidos de toda a Região Norte do País - sobretudo no setor supermercadista.
Mas a crise não o poupou de consequências duras, para não dizer duríssimas. Daí a frequência com que, ultimamente, começaram a circular informações de que o Yamada transferiria seus supermercados para o Grupo Carrefour, um dos que, dentre outros, estariam interessados em abocanhar esse pedaço precioso da empresa.
De especulação em especulação, a situação vai ficando mais clara quando, por força de lei, precisa de alguma forma tornar-se de fato mais transparente, não apenas para os acionistas como também para os consumidores, que têm percebido os negócios do grupo encolherem a olhos vistos.
O Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (22) publica editais convocando duas assembleias gerais extraordinárias, ambas para o dia 30 de junho, quinta-feira próxima, uma às 8h30, outras às 15h.
Os temas em pauta são relevantes.
Um deles: deliberar sobre a contratação de empresa de notória capacidade técnica e reputação, "para que realize profunda auditoria contábil, financeira e patrimonial na Companhia."
No caso da AG da holding, o único tema em deliberação é ainda mais delicado: decidir sobre a propositura de ação de responsabilidade civil contra administradores, em atendimento ao previsto nos artigos 158 e 159 da Lei no 6.404/76.
A lei em referência dispõe sobre as sociedades por ações.
Os artigos 158 e 159 tratam, em resumo, da responsabilização civil do administrador - ou administradores - em virtude de eventuais prejuízos decorrentes de culpa ou dolo.
Conclusão óbvia: as turbulências econômicas que o Grupo Yamada enfrenta não decorrem apenas de conjunturas adversas, mas de culpas e/ou dolos de seus administradores.
Presume-se isso, com um alto grau de convicção, pelo que se extrai dos próprios editais.
A história do Grupo Yamada é a tradução da tenacidade dos japoneses que imigraram para o Estado do Pará na década de 1950. Entre eles Yoshio Yamada , sua esposa Aki e seu filho Junichiro Yamada, que a Y.Yamada & Cia. na sala de nº 7 do Hotel Suisso, situado no Largo da Pólvora (hoje Praça da República).
Vendiam desde máquinas de costura Mitsubishi a defensivos agrícoloas, além de ferragens em geral, motores marítimos e industriais, sementes e adubos químicos e orgânicos, sementes.
A primeira loja foi inaugurada em 1955, na Rua Senador Manoel Barata, onde até hoje funciona a Loja Matriz.
Em seus bons tempos, o Yamada chegou à condição de maior rede de supermercados e magazine da Região Norte do Brasil.
O grupo, em dado momento, era formado por 35 lojas no Pará e uma no Amapá, empregando mais de 8 mil pessoas.

Seu cartel de clientes chegou a contar com 2 milhões de cadastrados no Cartão Yamada.

PMDB lança Maneschy, que terá Priante como concorrente

Carlos Maneschy: candidatura a prefeito de Belém não será unanimidade no PMDB
O PMDB do Pará parece não estar nem aí para as pretensões do deputado federal José Priante voltar a ser candidato a prefeito de Belém nas eleições de outubro.
Pois Priante também parece não estar nem aí para as pretensões - ou seria uma decisão definitiva? - do PMDB do Pará de lançar a candidatura do professor Carlos Maneschy, ex-reitor da UFPA, à sucessão do tucano Zenaldo Coutinho.
A menos que mudem - radicalmente, diga-se - as condições de temperatura e pressão, o PMDB terá disputa na convenção, porque, além de Maneschy, Priante também quer concorrer e, segundo afirma fonte segura ao blog, já decidiu bater chapa com o preferido da cúpula do partido, à frente o senador Jader Barbalho e o ministro Helder Barbalho, ambos presidentes estaduais do partido, o primeiro licenciado, o outro em exercício.
Assim é que Priante, presidente municipal do PMDB, não dará as caras, nesta quinta-feira (23), na festa de lançamento da candidatura de Maneschy.

O deputado estará triplamente ausente: em corpo, alma e coração.
Mas não necessariamente nessa ordem, vale dizer.

A UFPA afronta a patuleia com suas explicações


Hehe.
Olha aqui, gente.
Há uma regra básica, basiquíssima, segundo a qual é preferível silenciar-se quando nada se tem a dizer.
Por quê?
Porque dizer alguma coisa só por dizer pode soar, muitas vezes, como uma afronta à racionalidade, ao bom senso e à inteligência das pessoas.
Pois é uma afronta à racionalidade, ao bom senso e à inteligência da patuleia (apud Elio Gaspari) dizer a UFPA, como disse, que a nomeação do professor e ex-reitor Carlos Maneschy para assumir um cargo de direção de assessor no gabinete da Reitoria não passaria de um "equívoco, imediatamente sanado".
Essa expressão, no contexto das explicações para uma nomeação inexplicável - tanto que foi tornada sem efeito 24 horas depois - soou mais ou menos assim: alguém, lá pelo campus do Guamá, acordou de manhã, fez as suas abluções matinais, tomou café, escovou os dentes, arrotou, olhou para os céus e decidiu: acho que hoje eu vou nomear o doutor Carlos Edilson de Almeida Maneschy para o cargo de assessor da Reitoria.
Tomada essa decisão, a mesma pessoa, no dia seguinte, depois dos mesmos procedimentos matinais, tocou-se que, em vez do professor Carlos Edilson de Almeida Maneschy, ninguém, absolutamente ninguém deveria ser nomeado.
Isso é uma piada, não é?
Porque o ato que nomeou Maneschy foi pensado, repensado, planejado, querido (no sentido de desejado ardorosamente) e executado, ora bolas.
Com que inspirações?
Com que motivações?
Sob que conveniências?
Sabe-se lá.
Ou melhor, sabemos sim: inspirações, motivações e conveniências puramente políticas.
Mas a questão é: por que achar que o distinto público vai engolir que tudo não passou de um mero equívoco?
Enfim, são tempos de eleições na UFPA.
E eleições, vocês sabem, revelam sempre o melhor da ética dos disputantes, não é?
Em Belém e em Harvard, vocês sabem, eleições depuram o caráter de candidatos e os tornam mais transparentes, não é?
Hehehe.

O que ele disse


"Iniciamos negociações em todos os países da região menos no Brasil, já que há muita corrupção."
Declan Ryan, presidente da companhia aérea irlandesa Ryanair, famosa pelas promoções mais agressivas do setor na Europa, explicando por que preferiu a Argentina ao Brasil.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Santarém - 355 anos. Como não se enternecer com seus encantos?

Santarém, a Pérola do Tapajós, completa nesta quarta-feira (22) 355 anos.
Ela homenageia a nós, seus filhos - como o pessoal aqui da redação do blog - com seus encantos.
E como não homenageá-la cantando os seus encantos?
Olhem esses versos de "Canção de Minha Saudade", de Wilmar Fonseca-Wilson Fonseca, o hino sentimental de Santarém:
"Mergulhei já no Amazonas
(Não me digas: tu blasonas)
Pra no Tapajós boiar...
Há encanto em teus jardins
Vicejando benjamins
Que prateiam ao luar.
Tens Maria por padroeira
Essa Mãe tão brasileira,
Santarém da Conceição.
Se relembro teus recantos,
Ó Jesus lá vêm meus prantos,
Vou cantando esta canção!"
Como não se enternecer com esses versos?
Como deixar de ser santareno - a qualquer tempo, em qualquer lugar?

Olhem como a Celpa observa um padrão suíço em seus serviços


Olhem só a parada.
Quando não é a NET, uma porcaria sesquipedal (como diria o velho Nelson Rodrigues), é a Celpa com suas excelências.
Da NET para a Celpa, da Celpa para NET - e assim vamos nos divertindo, neste nossa Suíça da qual tanto nos orgulhamos.
A imagem que vocês veem acima é de um aparelho de televisão seminovo daqui do apartamento onde o repórter se abriga, no bairro de Nazaré.
Na sexta-feira passada, depois daquele toró de aspectos diluvianos que desabou em Belém, e no dia seguinte até o meio da tarde, faltou energia no prédio.
O resultado foram aparelhos queimados. Num outro apartamento, três televisores levaram a breca com os picos de energia elétrica que a excelência da Celpa nos proporcionou.
A Celpa terá que reparar esses danos?
É claro que sim.
Mas vocês imaginem a mão de obra que será para provarmos que dois e dois são quatro e, portanto, os aparelhos não pifaram assim do nada, mas porque a Celpa, com a excelência dos serviços que presta, é que levou as conexões internas a ficarem meio esturricadas, como se vê na imagem.
Da NET para a Celpa, da Celpa para a NET.
Não é divertido vivermos aqui na Suíça, este país do qual tanto nos orgulhamos dos padrões de seus serviços?
Eu disse isso Suíça?
Esqueçam.

Foi apenas um ato falho.

A NET desperta em nós os mais primitivos instintos

Sabem a NET, essa porcaria que, como diria Roberto Jefferson, desperta em nós os mais primitivos instintos?
Pois é.
É delicioso visitar o perfil dessa empresa no Facebook.
Os comentários são os mais ácidos, os mais indignados, os mais revoltados, os mais exasperados contra a péssima qualidade dos serviços que essa empresa presta a seus clientes.
Por que nos regalamos em ler comentários assim?
Porque nos descobrimos iguais a centenas, a milhares de outros clientes da NET que experimentam a mesmíssima sensação de desprezo, de deboche e de desrespeito que a empresa reservam a clientes que pagam em dia.
Confiram, abaixo, alguns exemplos dos comentários e vejam como a NET, reconheça-se, é democrática em espargir, em disseminar suas ineficiências.
Observem o desprezo. A pessoas reclama e as reclamações são encaminhadas para posterior contato. Sabem quando o contato?
Nunca.
Leiam a seguir.

-----------------------------------------------



Artur Soares Scalassara Bom dia prezados da Net.
Como aconteceu com o Sr. Ramon Vianna, eu também estou com problemas no serviço de telefone e de internet. O telefone já está sem funcionar a mais de um mês (estando sem linha) e a internet está com problema de conexão (diversa...Ver mais

CurtirResponder123 h
NEToficial Por favor, reinicie o seu aparelho, enviei um reforço de sinal, me informe se normalizou para prosseguirmos. Protocolo por e-mail.
CurtirResponder1 h
Ramon Vianna Bom dia prezados da NET.
Estou com problemas em meus serviços de telefone e internet.
Ambos estão sem sinal, utilizo o serviço apenas aos finais de semana que é quando venho para casa e tenho extrema necessidade da Internet pois utilizo para estudo. ...Ver mais

Rodrigo Barbosa Oferecem serviços sem o devido esclarecimento ou funcionamento dos mesmos. Sou assinante do NET e do Premiere desde o início do Campeonato Brasileiro, porém não tenho meu acesso que é DIREITO ao app Premiere Paly e já liguei por 4 vezes e não sabem inf...Ver mais
NEToficial Bom dia Rodrigo! Vou ajudar por aqui. Por gentileza, envie por inbox o CPF do titular ou código NET e telefone para contato. Obrigado!
Luiz Guilherme Gaertner Olá NEToficial, bom dia, tudo bom? Quantos protocolos são necessários para quebra de contrato por má prestação nos serviços e isenção da multa contratual? Aguardo resposta, por aqui, por favor!
NEToficial Bom dia Luiz! Multa contratual, só após o término da fidelidade. Vou te ajudar por aqui. Conta pra mim o que está acontecendo e me envie por inbox um telefone de contato. Obrigado!
João Seraphim Sexta 6h sem internet... domingo, sem internet por 2h por enquanto... Virou padrão NET isso?
NEToficial Olá,João! Sua conexão continua com problema? Informe-nos caso a instabilidade ainda persisti.
Francisco Medeiros Boa tarde onde e hj eu já recebi dois email da net informando que o meu pedido de cancelamento foi efetuado com sucesso só que eu não entrei em contato com a net para pedir o cancelamento de nada